quinta-feira, 31 de maio de 2012

Feliz Aniversário Fritz...

       Parabéns ao engenheiro de som e mestre em tecnologia de som e imagem Fritz Hilpert, que está no Kraftwerk desde 1987 participando de todos os seus projetos desde aquela época, e é uma simpatia [risos]. Substituiu o baterista Worfgang que saiu do grupo no mesmo ano, e fez seus primeiros shows em 1990.






       Hoje ele faz somente 56 anos, ou seja: ainda tem muito a oferecer em "batidas" para o Kraftwerk, mesmo assustando muitos fãs quando em 2008 quando sofreu um ataque cardíaco fazendo o grupo cancelar um show na Australia, mais precisamente em Melbourne.

       Então, podemos desejar muitos anos de vida e no Kraft, para ele. Sucesso!! ^^'
______________________________________________
Gostou? Comente!

Entrevista: Folha de São Paulo [1998]

       Transcrevo agora uma entrevista das muitas disponíveis no http://www.technopop-archive.com, um site brasileito com conteúdo sobre o Kraftwerk que recentemente voltou ao ar depois de algum tempo (dizem que o próprio Ralf mandou fechar... mas enfim). Essa entrevista aconteceu em Outubro de 1998, quando o Kraftwerk vez sua primeira visita ao Brasil. Vamos a entrevista:

  Folha de São Paulo - O Kraftwerk se considera mais do que um grupo pop?
Ralf Hutter - Sim. Somos operários musicais. Inventamos a semana de 168 horas, não há separação entre trabalho e tempo livre. Há tantas coisas a fazer: música, programar computadores, imagens, filmes, letras, palavras, discursos, entrevistas, viagens, esportes...
  Folha - O que mais o interessa?
Ralf Hutter - A vida cotidiana.
  Folha - Na Alemanha?
Ralf Hutter - Sim, só podemos falar do nosso dia-a-dia, ou seja, predominantemente o contexto industrial alemão em Düsseldorf, Colônia. Mas também estamos perto da fronteira, área pan-européia.
  Folha - Nesse momento a Alemanha passa por mudanças políticas.
Ralf Hutter - Sim, mas isso é só administração. Acho que não tem nada a ver com arte, música ou pensamento. Quem se importa com o governo? Não acho que burocratas possam influenciar a cultura.
  Folha - E quem pode?
Ralf Hutter - Bem, as pessoas fazem cultura, os cineastas, os escritores, os matemáticos, os cientistas, os artistas. Essas são as pessoas interessantes, não os burocratas.
  Folha - E o cotidiano?
Ralf Hutter - As invenções influenciam a vida cotidiana, como o gravador, a câmera digital, o sintetizador. Há cem anos, para criar um grande som, era preciso uma centena de pessoas, então era necessário um rei ou um rico empreendedor industrial. Hoje, com um computador e caixas de som, há todo um novo princípio de criação autônoma, que transforma os governos e a burocracia em redundantes. E com a Internet e outros canais de comunicação, há diferentes autonomias de discurso.
  Folha - O que acha do "faça-você-mesmo" com os computadores na música? E do resultado?
Ralf Hutter - É como havíamos previsto nos anos 70. Éramos a primeira geração do pós-guerra na Alemanha, quando não apenas as casas foram bombardeadas, mas havia uma desorientação na cultura alemã. Mas foi uma grande oportunidade, porque começamos do zero, não havia tradição contínua. Tínhamos essa idéia de criar a "Elektronikevolksmusik", como o Volkswagen, algo popular. Agora está em todo lugar, no mainstream. Aconteceu.
  Folha - Em 1977, você disse que "todo mundo busca o transe na vida, e as máquinas produzem um transe absolutamente perfeito". Continua achando?
Ralf Hutter - Sim. Nós tocamos as máquinas e algumas vezes elas nos tocam, é um diálogo. Kraftwerk é o homem-máquina. Algumas pessoas atingem o transe com a exaustão física, tomando drogas ou 20 xícaras de café. Nós o fazemos pela música.
  Folha - Há uma hierarquia na música eletrônica?
Ralf Hutter - Não. Algumas vezes, na música, o fator humano é superestimado. E com o Kraftwerk nós levamos o fator mecânico ao mesmo nível, à igualdade. Se você trata suas máquinas musicais da mesma forma que seus amigos ou a si mesmo, achará um feedback positivo.
  Folha - Primeiro foi o mecânico, o carro, o trem, depois o computador, agora há a Internet. A música antecipa estes estágios ou os retrata?
Ralf Hutter - Algumas vezes ela é simultânea, mas a música pode ser muito visionária.
  Folha - O que é visionário hoje?
Ralf Hutter - Nosso próximo disco.

Todos os créditos a Dante de Conti Neto and Marcelo Duarte, admins do http://www.technopop-archive.com.

Mais entrevistas (transcreverei algumas para aqui): http://www.technopop-archive.com/data_interviews.php 
______________________________________________________
Gostou? Comente!

Kraftwerk Anunciado em Festival na Polônia

     Agora a pouco (ver hora do post) no twitter, Ralf Hutter - que se não for o próprio é alguem muito bem informado - postou em sua página o poster do UMF Poland, um festival na Polônia, óbvio, que será realizado nos dias 13 e 14 de Julho e contará com o Kraftwerk para show no Sábado (14).

poster do evento
        
       Se não me engano o Kraft fez show nessa cidade para o Minimum Maximum em 2004. Vamos aguardar então mais esse evento que acontecerá após o Dancity Festival, que promete o Florian de volta aos palcos com o Ralf... e me dá uma pontinha de esperança quanto a uma possivel volta a apresentações "normais"... quem sabe?

Links: 

Site do evento com mais informações: http://www.umfpoland.com/
________________________________________________
Gostou? Comente!

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Confirmado Evento com Ralf & Florian

 Hoje (18/05) foi anunciado pelo twitter de Ralf Hütter - se é que essa conta é dele mesmo - um evento de "música eletrônica e arte digital" na Itália, o Dancity Festival, que será realizado nos dias 6 e 7 de Julho.

 
anúncio do festival

 As únicas informações (óbvias) que tenho até agora que haverá uma apresentação com Ralf, Florian, e Uwe Schmidt, um produtor de música eletrônica alemão com extensa discografia, diversos codenomes, influência na música latina - incluindo brasileira - e que já produziu por exemplo um álbum de obras do Kraftwerk em rítimo latino, o El Baile Alemán.

 Somente nos resta aguardar para saber o que irá sair dessa apresentação, e do quanto será bom rever o Florian na ativa... principalmente junto com Ralf...

Links:

Site do Evento: http://www.dancity.it/
Anúncio do Lineup, com Kraftwerk emcabeçando: http://www.dancity.it/news/46/annunciata-la-lineup-del-dancity-festival-2012-labour-of-love.html (percebam que já faz um bom tempo que postaram, passou despercebido...)
___________________________________________________
Gostou? Comente!

sábado, 12 de maio de 2012

A Decepção da MTV e o Show em São Paulo

       A dias se falava entre os Kraftfans que a MTV Brasil transmitiria o show do Kraftwerk no Anhembi Parque esse ano. Atrasos a parte o show se diz iniciado que começaria as 23, depois as 23:15 e parece que começou as 23:30... os fãs esperam e em torno das 23:40 é anunciado que Ralf Hutter não permitiu a transmissão do show "porque a transmissão em 3D não ficaria bem a tv".
       Então cabe a nós a pergunta: "Porque a MTV Brasil e o próprio Sónar anunciam a transmissão, fazem propaganda e não se certificam de que há permissão do show ser transmitido?" Acho-a tão óbvia que nem merece resposta.
       Vamos a algumas (belas) fotos postadas sobre o show [clique para ampliar] e algumas info abaixo:






____________________________________________________________

        Foram distribuidos cerca de 15000 óculos 3D para os shows (creio que a GRANDE maioria de souvenir). Muitos elogios da mídia, gente um tanto quanto desinformada postando besteiras no twitter, outras como eu lamentando a não-transmissão e falta de compromisso da MTV Brasil por anunciar uma transmissão que não sabia se iria acontecer, ou até xingando bravatas faladas ao vivo por "artistas"  brasileiros como Criolo, que em seu palco disse a frase: "aqui não precisa de óculos". Primeiramente para um festival de "música avançada" não mecere pessoas de uma obra - desculpem-me o termo - POBRE, como ele, e ainda vem nos falar algo como isso... só demonstra a pobreza da música em nosso país.
        O show, como o próprio Ralf Hutter disse, foi um resumo dos shows no MoMA com seus defeitos no 3D pela quantidade de pessoas, mas nada que prejudicasse a atração e teve uma setlist que eu não diria nada menos que sensacional, só senti falta se Showroom Dummies/Os Manequins. (ao lado o Kraftwerk nos Trending Topics Brasil e São Paulo, sairam pouquissimas vezes desde antes de iniciar o show e até o término desse post não sairam)

1 - The Robots
2 - Spacelab
3 - Metropolis
4 - The Man Machine
5 - Numbers
6 - Computer World
7 - Planet of Visions
8 - Autobahn
9 - Tour de France 1983
10 - Tour de France 2003
11 - Computerlove
12 - Radioactivity
13 - Trans Europe Express
14 - Home Computer
15 - Aero Dynamik
16 - (Boing Boom Tckack/Techno Pop?) Musique Non Stop 

       Enfim... só posso lamentar a minha não-ida a esse eventaço! Mas teremos outras chances futuramente, quem sabe.

https://twitter.com/#!/search/Kraftwerk (arsenal de fotos que o pessoal vai postando enquanto rola o show)
(infos)


...e mais tantos outros que vocês podem achar pelo twitter.
_________________________________________________
Gostou? Comente!

sexta-feira, 11 de maio de 2012

MTV Brasil Transmite o Show do Kraftwerk

       A MTV Brasil anunciou a programação para as transmissões do Sónar São Paulo e promete transmitir o show inteito do Cee Lo Green e a partir das 23h o do Kraftwerk, tomara então que não façam muitos cortes e transmitam todo o show, o que é improvável, mas estamos na torcida.


Já está tudo pronto
foto postada no facebook da MTV1


       "Veja abaixo os destaques da programação:

       Sexta-feira (11)

22h30 - Início das transmissões
23h - Show do Kraftwerk ao vivo
01h - Show do Little Dragon ao vivo
02h - Show do Chromeo"


       O Show está programado para ter mais ou menos uma hora e meia, então parece um bom tempo.

       "Sexta-feira

       O festival começa nesta sexta-feira, 11 de maio, às 19h. No primeiro dia, os fãs já poderão curtir o elogiado show com projeções em 3D do grupo alemão Kraftwerk no palco SonarClub. No mesmo palco também se apresentam o duo canadense Chromeo com seu irresistível e sexy balanço electro-funk e o badalado produtor brasileiro Gui Boratto."


       Tomara, então, que realmente transmitam todo o show, os fãs que não vão (como eu) agradecemos.

Fonte: http://www.mtv.uol.com.br/sonar/blog/mtv-transmite-sonar-sao-paulo-ao-vivo

_____________________________________________________
Gostou? Comente!

terça-feira, 8 de maio de 2012

Ralf Hütter concede entrevista ao "O Globo"

       Aqui reescrevo a entrevista dada pelo Ralf Hutter ao jornal o Globo e faço alguns comentários...


 Divulgação do Sónar Festival
oglobo.com

       "RIO - A relação não é de homem/máquina e sim de entrevistador/entrevistado. Mesmo assim, Ralf Hütter, do Krafwerk — que se apresenta no Sónar São Paulo, no próximo dia 11 —, parece disposto a inverter os circuitos e faz a primeira pergunta ao repórter, assim que a assessora de imprensa do grupo faz a conexão Rio-Berlim por telefone.— Olá. Nós nos conhecemos? Já conversamos antes? — quer saber ele.
        
       Negativo. Afinal, entrevistas com o Kraftwerk — principalmente com o único integrante da formação original do mitológico grupo alemão — são eventos raros.
— E você já viu algum show do Kraftwerk? — emenda.
Positivo. Dois shows no Brasil — no TIM Festival de 2004, no Rio, ao lado do Massive Attack, e na Praça da Apoteose, em 2009, abrindo para o Radiohead — e um na Inglaterra, em 1997, no festival Tribal Gathering."

       Por algum motivo Ralf tem esse hábito, já percebi ele perguntando se já conversou com jornalistas outras vezes... sinceramente não entendo muito o porquê... ele gusta de fazer turnês... bem simpático da parte dele.

       "— Ah, foi ótimo tocar naquela praça desenhada por Oscar Niemeyer. Cheguei a estudar arquitetura, e ele foi uma grande inspiração — diz ele. — E aquele show no Tribal Gathering foi especial, marcou nossa volta aos palcos britânicos depois de uma longa ausência."

       Percebe-se aí um pouco de seu passado e sua cultura extremamente diversificada...

       "Cinco anos de ausência, mais precisamente. Antes disso, o Kraftwerk — que se apresentou recentemente, por oito dias, no Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA), dentro da instalação "Retrospective 12345678" — vivia uma relação conflituosa com os palcos, sumindo deles com razoável frequência, por $sempre conseguir traduzir ao vivo, em alto nível, o som dos discos e a estética visual pensada pelo grupo. Só a partir do fim dos anos 1990, com o avanço da tecnologia, é que os shows do Kraftwerk passaram a ser menos esparsos.

       — Nossa relação com a tecnologia sempre foi intensa, e sofríamos muito quando não conseguíamos levar as ideias para o palco do modo como queríamos. Era frustrante não ter o equipamento adequado — conta Hütter. — Mas hoje a tecnologia está no padrão que sempre pensávamos. É quase um sonho."

        Lembremos de inventos como uma especie de gaiola que o Kraftwerk testou em 75~76 em seus shows mas não deu muito certo, e alguns recorrentes cancelamentos de shows em shows em 91. Diz-se que eram nove horas entre a montagem e desmontagem do estudio portátil e palco de shows.

       "Um sonho que inclui, diz ele, o formato 3D que marcou os concorridos shows em NY.

       — Os shows em 3D são um marco na nossa evolução. É perfeito para a nossa linguagem visual e deu um toque especial nas apresentações no MoMA. A exposição e aqueles shows representaram uma espécie de ciclo que se completou para a banda, que nasceu num ambiente de arte em conexão com a música. Diferentemente de outras bandas, museus não são habitats estranhos para nós."

       Atentemos a parte aqui repetida: "A exposição e aqueles shows representaram uma espécie de ciclo que se completou para a banda". Seria essa uma prova que o Kraftwerk estaria entrando de vez em novos projetos, como um novo álbum prometido em breve? Aguardemos...

       "Mas como o Sónar São Paulo não é o MoMA e o Parque do Anhembi não é o seu átrio, o show do Kraftwerk no Brasil vai ser um pouco diferente daquele apresentado em NY.
— Vamos fazer um resumo daquela retrospectiva, tocando músicas de diversos álbuns. Mas o 3D está garantido. Vamos levar todo o equipamento, inclusive os óculos.
Ironicamente para uma banda tão ligada em tecnologia, seu estúdio, o famoso Kling Klang, não possui telefones. Ao menos é o que diz a lenda em torno do robótico grupo, que evita esses aparelhos para não quebrar o estado de imersão completa quando seus integrantes estão trabalhando.

       — Não há mesmo telefones no estúdio. Telefones eram muito intrusivos, você nunca sabia quem estava ligando. Isso mudou hoje, claro, mas mantivemos essa postura. Precisamos de concentração total para trabalhar. Depois que saímos dali, tudo volta ao normal."

       O repórter falou uma história repetida mas tudo bem... gosto dessas histórias do Kraft.

       "Essa reclusão não parece significar uma produção intensa. Afinal, disco novo, o Kraftwerk não lança um desde "Tour de France soundtracks", de 2003.
— Mas estamos sempre trabalhando em novas ideias, inclusive para o próximo disco. É um processo contínuo, não há pressa — garante."

       É... não há pressa... 

       "Parte desse processo contínuo gerou, pelo menos, o recém-lançado aplicativo Kling Klang Machine (para iPhone e iPad), que permite que o usuário produza sons sequenciados como se estivesse dentro do estúdio da banda.
— Ele gera sons que vão se modificando à medida que a pessoa vai interagindo com eles. É um trabalho mais atmosférico do que explosivo — conta ele, que diz ter um iPad "apenas para funções tradicionais". — Não o uso para fazer música. Seria excessivo. É bom ficar um pouco desconectado."

       Esqueci de comentar por aqui que esse app recebeu atualização recentemente... bom pra quem é um entusiasta na musica...

       "Para se desconectar ainda mais, Hütter gosta de andar de bicicleta, uma notória paixão dele e da banda, que inspirou o hit "Tour de France", de 1983.

       — Sou o único da banda que ainda leva essa atividade a sério. Ando sempre que posso. É um prazer incrível e um ótimo exercício — conta ele, que teve um sério acidente nos anos 1980, sofrendo traumatismo craniano após cair da bicicleta. — Mas aquilo foi há muito tempo, numa época em que íamos de bicicleta atrás do ônibus da turnê quando nos aproximávamos de uma cidade. Hoje, não consigo mais fazer isso. Não consegui nem andar no Central Park durante nossa temporada em Nova York. Em São Paulo também não vai dar tempo, já que vamos viajar de volta no dia seguinte ao show."

       É Ralf... a velice chega a todos... até maquinas envelhecem... só espero que se um dia você parar só pare de andar de bicicleta...

       "Antes de a entrevista ser encerrada pela atenta assessora do grupo, Hütter faz mais uma pergunta:

       — Você é do Rio, não?

       Positivo.

       — Adoro a energia e o ritmo da cidade. Apesar de estarmos distantes e virmos de outro contexto, sinto uma afinidade do Rio com o Kraftwerk. O som do baile funk é um exemplo disso. É uma combinação de ritmos muito interessante."

       Essa ultima deixo a cargo de vocês. Para mim depois dessa #RalfFunkeiro deveria ir para os tt's no twitter. [risos] Ele poderia ter sido um tanto quanto mais... robótico...


E a foto do jornal "O Globo" de hoje (12.07.05): http://twitpic.com/9ikpb8

Espero que tenham gostado dessa (não tão) curta análise.
___________________________________________________________
Gostou? Comente!

quinta-feira, 3 de maio de 2012

1991.07.19 Brixton Academy, London

       Uma excelênte gravação, e o penúltimo show da tour do Reino Unido do The Mix com o português saltitante Fernando Abrantes. O último show, no dia seguinte, também foi em Brixton Academy. O único problema dessa gravação é a repetição de uns trinta segundos no fim de Numbers, mas nada que prejudique a boa qualidade do registro, vale a pena baixar. (ingresso ao lado, fonte: electriccafe.info)





1991.07.11 Scotland, Glasgow, Vorsch Sprung Technik

       Continuando com lives de 1991, esse está em uma qualidade um tanto quanto ruim, um pouco lenta também, porém audível... deve ter sido gravado em uma distância realmente considerável. Esse é o primeiro show registrado da tour do Reino Unido do The Mix (com o português Fernando Abrantes). Percebe-se alguns elementos usados originalmente na base de em The Model por exemplo. (foto do ingresso ao lado, fonte: electriccafe.info)



Faixas:

1 - Intro (00:47)
2 - Numbers (05:14)
3 - Computer World (05:16)
4 - Home Computer (08:43)
5 - Computer Love (07:42)
6 - The Model (04:23)
7 - Tour de France (08:19)
8 - Autobahn (11:41)
9 - Radioactivity (07:53)
10 - Trans Europe Express (Abzug) (06:03)
11 - Metal on Metal (05:41)
12 - The Robots (05:49)
13 - Robotronik (04:34)
14 - Pocket Calculator (09:54)
15 - Applause (Aplausos) (03:51)
16 - Music Non Stop (15:04)

DOWNLOAD: 4shared.com
________________________________________________________________
Gostou? Comente!

terça-feira, 1 de maio de 2012

Mudança de Título do Blog

       Para facilitar e tornar mais cômodo acessos ao blog mudei o nome de "http://www.brazilianklingklang.blospot.com" para "http://www.brklingklang.blospot.com". É mais curto e com o mesmo nome de usuário do principal fórum de fãs do Kraftwerk do mundo: o electriccafe.info .


       Agradeço o acesso de todos. Divirtam-se.


Romário Carlos, admin do blog.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...